Confira todo os Reviews sobre o novo Tablet Nokia T20.


Mais de um mês depois de testar o tablet Nokia T20 para análise, cheguei à conclusão de que o problema que enfrentamos neste mercado hoje não é nem mesmo a clássica incompatibilidade entre gostar de tecnologia e ser brasileiro. Isso não é novidade, pois não? Estou nisso há anos e sei muito bem que 90% da nossa população só tem algumas oportunidades de comprar produtos tecnológicos de ponta cerca de 2, 3 anos após o lançamento e olhar para lá. O verdadeiro problema é que a situação agora é tão ruim, mas tão ruim, que esse atraso geracional já se tornou realidade também para os produtos criados, ideal até do zero para alcançá-los. Isso é particularmente evidente no caso de tal situação. Venha comigo agora que vou falar sobre os detalhes do Nokia T20 e no final do vídeo, prometo a vocês que vão entender do que estou falando.


Design e adições



O design do Nokia T20 é a única coisa que está totalmente alinhada com o seu preço. Ao contrário da maioria dos discos mais baratos, que geralmente são todos plásticos, este dispositivo contém um corpo de alumínio completo. Muito sólido, forte e lindamente colorido, mesmo. Ele não tem acabamentos premium, mas essa nem é a sugestão aqui, então o método mais simples com cantos redondos e laterais não destaca o tablet, mas funciona bem. O material o torna pesado, por isso não é um tablet que você vai precisar usar segurando sua mão por muito tempo.


  •        Dimensões (A × L x E): 15,75 x 24,76 x 0,78 cm (mais          grosso nas câmeras)
  •         Peso: 465 g

Há uma câmera de selfie bem ali no meio da borda ao redor da tela, na parte superior enquanto gruda na direção horizontal. Deste lado está o braço de volume, enquanto o botão de alimentação está à esquerda, logo acima de um dos alto-falantes. Há um segundo alto-falante do outro lado, ao lado do conector USB-C. Então sim, o Nokia T20 tem som estéreo, que é ótimo, com ótimo tamanho e qualidade decente dentro.


Nokia T20 Tablet


Não há leitor digital aqui, então se você não quer continuar usando sua senha ou estilo para desbloquear seu tablet, a única opção que resta é o reconhecimento facial por uma câmera de selfie, que funciona, mas sabemos que não é a coisa mais segura.


Tela


Acesso à tela, é aqui que começamos a ver as restrições do Nokia T20. O painel é uma tela LCD IPS de 10,4 polegadaS com uma resolução incomum de 5:3 2000 × 1200 pixels, tornando-o algo entre HD e Full HD. A caixa vende esse número em resolução 2K, mas isso é uma espécie de desinformação porque 2K não é um padrão devidamente fixo.


  • Tela: tela LCD IPS de 10,4" (5:3) com 2.000 × 1.200 pixels, brilho de 400 velas por metro quadrado, taxa de atualização de 60 Hz e densidade de 224 pips por polegada

Os detalhes das imagens não são ruins, mas as cores eventualmente parecem um pouco sem vida nas imagens, os tons de cinza preto e o brilho máximo de 400 velas por metro quadrado é um problema real. Não só esquecemos a ideia de usar o T20 em um ambiente ao ar livre ou com a tela de frente para uma janela em um dia ensolarado, mas mesmo luzes internas um pouco mais fortes já podem deixar a experiência de visualização da série, por exemplo, um pouco desconfortável.


Tela do tablet Nokia T20


Câmeras


Passe rapidamente pelas câmeras, aqui temos frente de 5 MP com foco mantido e traseira de 8 MP com foco automático, que lá precisa ser para o status de chamadas de vídeo basicamente. Você pode até filmar full HD e tirar fotos, mas o resultado não é ótimo, então não recomende.


  •         Câmeras: 5mp frontal e traseira de 8MP com foco                      automático
  •         Vídeo: 1080p@30fps
  •          Câmera de tablet Nokia T20


Desempenho


Dentro do capô, o Nokia T20 tem um processador Unisoc T610, um chip básico do tipo que você encontra em alguns smartphones mais próximos da gama SR 1.000. Ou seja, não condiz bem com o preço deste tablet aqui. Vem com 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento expansível via cartão microSD.


  •         CPU: Octa-core Unisoc T610 (2x 1.8 GHz Cortex A-75 +           6x 1.8 GHz Cortex A-55)
  •         GPU: Mali G-52 MP2
  •         Memórias: 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento              (expansível via microSD)

O desempenho que ele pode oferecer com isso é o básico, onde funciona bem para navegar na Internet, usar redes sociais, assistir seriados através de transmissões e jogar jogos muito leves. Os jogos ligeiramente mais avançados ainda têm um bom desempenho se forem jogados usando configurações gráficas no nível mais baixo possível, mas qualquer coisa mais intensa fará este tablet sofrer. O tablet de entrada, que na verdade era para o Nokia T20, é esperado para ser, mas o preço aqui no Brasil torna desagradável.


Interface


O tablet de fábrica tem uma versão bastante pura do Android 11, onde tudo funciona exatamente como esperado. Quando você desliza para fora de casa, podemos acessar o Entertainment Space, onde o tablet coleta indicadores de conteúdo em filmes e séries nas plataformas de streaming mais versáteis, bem como indicadores de jogos, leituras e produção de áudio em outras guias. Mas mesmo com essas sugestões, deve-se notar que você ainda tem que assinar os serviços envolvidos para que você possa assistir ao conteúdo. Caso contrário, a interface funciona bem e não carrega nenhuma surpresa.


  •      Sistema operacional: Android 11
  •      Nokia T20 Android Tablet


Bateria


A bateria de 8.200 mAh do Nokia T20 é um ponto onde o telefone não decepciona. Focando apenas na transmissão de vídeos, o tablet carrega pouco mais de 10 horas de uso ao vivo, com a tela rodando com brilho no máximo. Ao distribuir esse consumo em sessões que duravam cerca de 1 hora por dia, sua bateria parou por cerca de uma semana inteira. É possível consumir a bateria mais rápido, especialmente se você vai jogar online, mas em geral o resultado é positivo.


  •         Bateria: 8200 mAh com carregador de 10W na caixa

Recarregar é uma fraqueza. Por mais que o dispositivo corresponda a carregadores de 15 watts, ele vem na caixa com capacidade de apenas 10 W. Com isso, a recarga de zero a 100% leva aproximadamente 4 horas no total, o que é muito lento.


Vale a pena?


No lançamento aqui no Brasil, agora no final de fevereiro de 2022, o Nokia T20 chegou a um custo ridículo de R$2.200, o que é simplesmente irrealista para o que oferece. Agora, cerca de 3 meses depois, já é possível encontrar o dispositivo com valores de cerca de R$1.500.


  •         Preço oficial: R$1.499 na hora

Não é mais um preço ridículo para ele, mas para mim ainda é injusto à luz do que ele oferece, especialmente em termos de qualidade de tela e desempenho. Dado o uso mais secundário que o tablet de entrada geralmente tem, um dispositivo que você usa mais em casa para assistir uma série enquanto come, ou para navegar na Internet, redes sociais e ler um pouco, é possível encontrar opções no mesmo nível que custam quase US$ 500 R a menos, como o Galaxy Tab A8 da Samsung. O corpo mais poderoso deste não justifica a diferença de valor. Se R$1.500 for o preço de lançamento do T20, depois instalado perto de R$1.100 ou até R$1.200, ele permanecerá um pouco mais caro do que os concorrentes no mesmo nível de desempenho, mas em um valor justificado pelas substâncias mais poderosas do corpo. Mas esse não é o caso.


A parte mais triste disso é que vejo essa situação como algo recorrente em produtos de marcas como Nokia, Shaumi e outras empresas que voltaram a trabalhar no Brasil em um sistema de parceria com algumas marcas locais. Não sei quais são os termos desses acordos ou a carga tributária que empresas como Multilaser, DL ou Positivo precisam enfrentar para que possam trazer esses produtos, mas o resultado sempre acaba sendo o mesmo: dispositivos como o Nokia T20 chegam ao nosso país por um valor totalmente indescritível que é impossível de recomendar. O tablet de entrada atinge o valor de um corretor, e então as pessoas que são atraídas por uma marca como a Nokia acabam pagando muito por um produto que vale a pena, mas só se custar muito menos.


Eu gostaria muito de poder prestar atenção em você aqui e dizer: Sim, você pode comprar a versão nacional do tablet Nokia, celular Xiaomi, laptop Vaio, mas ele não dá. Não sei se os fabricantes precisam se unir para convencer os políticos a mudar as leis do país sobre impostos sobre eletrônicos, se devem renegociar os termos de licenciamento das marcas internacionais que vendem, se é bom investir nas novas instalações de fabricação e distribuição do Brasil ou se é necessário baixar os preços em Mara e a margem de lucro final ao mínimo possível. O que eu sei é que não teve que esperar que o tablet de entrada se tornasse atencioso e isso deve parar. Desde que ainda valha a pena comprar produtos de outras gigantes que já se estabeleceram aqui no Brasil ou ignorar a versão nacional em favor de modelos importados a preços mais justos, é isso que posso apontar para você que está assistindo esse vídeo.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem