Gestante pode ter direito a auxílio doença em casos de gravidez de risco; Acompanhe detalhes

Imagem: Reprodução/Google




Embora a grande maioria das gestações ocorra sem complicações ou complicações, uma porcentagem menor de gestantes pode ter algumas condições de saúde pré-existentes ou de gravidez que aumentam as chances de desenvolver uma gravidez perigosa.


De acordo com a definição de um caso, uma gravidez perigosa é uma gravidez em que a vida ou a saúde da mãe e/ou do filho é mais provável de ser alcançada do que a média de outras gestações.


Uma gravidez de risco pode deixar uma mulher incapaz de realizar suas atividades diárias e até mesmo trabalhar.


Alguns dos sintomas dessa condição são muito desconfortáveis, como sangramento, contrações uterinas, tonturas e desmaios frequentes. É por isso que durante uma gravidez em risco, é importante que a mulher tenha algum cuidado para evitar complicações.


A orientação médica muitas vezes é confortante, de modo que uma mulher grávida que está em uma gravidez de risco pode ter direito a auxílio-doença antes de pagar a maternidade.


Auxílio à doença para gestantes


Auxílio-doença ou assistência temporária na área de incapacidade é um benefício do Instituto pago aos trabalhadores que não podem exercer atividades laborais por mais de 15 dias, por doença ou acidente de qualquer tipo. 


No caso de gestantes com uma gravidez perigosa, esse benefício pode ser solicitado quando o médico direciona o resto, isolamento ou até mesmo internação dessa mãe.


Assim, essa gestante terá que ficar afastada de suas atividades de trabalho, com a possibilidade de buscar tal ajuda da doença.


Mas para fazer isso, você precisa olhar para os requisitos, tais como:


  • Ter incapacidade temporária de trabalhar e demonstrar problemas de saúde por meio de laudos médicos, consultas, dados médicos e experiência do INSS;
  • Um período de carência de 12 meses, ou seja, o segurado deve ter feito pelo menos 12 contribuições ao INSS antes da doença*.
  • Qualidade garantida.

Uma gravidez de alto risco requer necessidade?


A Categoria Nacional de Unificação dos Juizados Especiais Federais (TNU) criou uma tese para o tema 220 que confirmou o entendimento de que a gravidez, que é clinicamente atestada como de alto risco, com recomendação médica de afastamento do trabalho por mais de 15 dias consecutivos, autoriza a isenção de carência para benefícios por incapacidade, na forma dos arts. Artigos 26, II e 151, ambos da Lei nº 8-213/91.


Assim, a TNU desenvolveu a seguinte tese:


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem