Quem não responder o Censo 2022 vai ter o Auxílio Brasil cortado? Entenda

Imagem: Reprodução/Google




Uma das fake news vem circulando nas redes sociais que sugere que os beneficiários do Brazil Aid que não responderem ao levantamento do Censo 2022 terão o corte de pagamento. Além disso, eles também afirmam que os agentes do Censo usam celulares como urna eletrônica e roubam dados para fraudar a reivindicação.


Além disso, há um alerta mentiroso de que falsos agentes entram nas casas das pessoas e anunciam roubos. No entanto, esses rumores foram desmembrados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Ministério da Cidadania e Tribunal Superior Eleitoral (TSE).


Suspensão da Ajuda Brasil


Por nota, o IBGE informa que: "As informações que vinculam o Censo 2022 ao pagamento de qualquer programa social não são verdadeiras. As informações fornecidas pelos entrevistados são mantidas em total sigilo pelo IBGE, sendo utilizadas apenas para commin estatísticas para toda a sociedade".


De acordo com informações do Ministério da Cidadania, responsável pelo Brazil Aid, o benefício, que até dezembro incluirá pelo menos 20,3 milhões de famílias com valor de R$ 600,00, está suspenso apenas em caso de informações divergentes no Cadastro Único do Governo Federal (CadÚnico), após analisar a situação das famílias para estabelecer permanência no programa social.


No entanto, antes disso, o beneficiário é aconselhado a atualizar as informações. Se não atender mais aos requisitos para receber o pagamento, ele está suspenso.


Ainda segundo o Ministério, "é importante ressaltar que a recusa em prestar esclarecimentos ao Censo é punida com multa e prejudica a construção de um retrato fiel do Brasil e dos brasileiros".


Censo 2022


Em 1º de Agosto, teve início o Censo de 2022, com mais de 183 mil recenseadores, que visitarão 75 milhões de domicílios em 5.568 municípios do país. Incluindo aldeias indígenas e quilombolas.


Assim, circula um áudio nas redes sociais em que um homem afirma que agentes do IBGE que atuam no Censo questionam a intenção de votar cidadãos e usam o celular como urna eletrônica para roubar dados biométricos e eleitorais. O que já foi descartado pelo TSE.


Além disso, o IBGE informa que não são feitas perguntas sobre a intenção de voto das pessoas entrevistadas. O objetivo do estudo é reunir informações sobre quantos são e como os brasileiros vivem. 


Além disso, o TSE afirma que nenhum aplicativo móvel substitui a urna eletrônica física, que é a única ferramenta utilizada para registrar o voto do eleitor.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem