Atenção! Golpe do auxílio Brasil: Não faça o empréstimo antes de ler esse texto.

Imagem: Reprodução/Google




Você já ouviu falar no golpe do empréstimo consignado do Auxílio Brasil? Milhares de pessoas já caíram na estratégia de criminosos que estão usando a iniciação da folha de pagamento para enganar os beneficiários de programas sociais federais.


Os criminosos se aproveitam da alta demanda por empréstimos no Brasil para oferecer estabelecimentos que são armadilhas para roubar dados dos cidadãos.


Por exemplo, no Rio de Janeiro, uma quadrilha movimentou 3,5 milhões de reais ao solicitar um golpe de empréstimo para ajuda brasileira.


Como funciona o golpe do empréstimo do auxílio Brasil?


Os criminosos tiveram acesso aos contatos dos beneficiários da ajuda brasileira que já haviam feito empréstimos assinados pelo programa.


Eles chamaram a vítima e passaram por uma empresa chamada promotora intermediária global LTDA. O plano contava com mais de 30 funcionários e tinha uma estrutura profissional para aplicar fraudes.


Ao ligar, prometeram transplantar o salário de empréstimo do auxílio brasileiro, ou seja, os cidadãos podem trocar dívidas bancárias e pagar menos juros.


Acreditando na promessa, os criminosos pediram informações pessoais e dados bancários dos beneficiários e fizeram novos empréstimos com os dados fornecidos pelas vítimas.


O golpe foi realizado com pelo menos cinco vítimas no Distrito Federal e oito estados, incluindo Alagoas, Bahia, Goiás, Paraná, Pernambuco, Santa Catarina, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.


Como não cair no Golpe do Consignado do Auxílio Brasil?


Por mais tentador que seja a promessa de portabilidade, recomendamos que você siga essas etapas para evitar cair em um golpe usando empréstimos salariais da Brazil Aid:


  • Evite contratar ou renegociar empréstimos por telefone, preferindo serviços presenciais e canais oficiais de bancos.
  • Não forneça seus dados bancários, senha do cartão ou portal do INSS para um funcionário do banco.
  • Informe qualquer atividade suspeita no Portal do Consumidor.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem