Caso Neymar: Jogador pode ser preso e acabar de fora da Copa? Entenda

Imagem: Reprodução/Google



Neymar, considerado um dos maiores futebolistas do mundo, está fazendo manchetes em todo o mundo por causa da possibilidade de o jogador acabar na prisão, impedindo-o de participar da Copa do Mundo FIFA de 2022 no Catar™.


O julgamento do brasileiro, que se viu no banco dos réus após denúncias de fraude e corrupção durante sua mudança de Santos para Barcelona em 2013, começou em 17 de outubro.  A estrela apareceu no tribunal na Espanha, mas o juiz Manuel del Amo Sánchez acabou sendo liberado para retornar a Paris.


A próxima sessão está prevista: 31 de outubro.No total, exatamente 24 dias antes da estreia da Seleção Brasileira na Copa do Mundo. Se Neymar for condenado à pena máxima, além de pagar multa, a lei espanhola também pode especificar dois anos de prisão profissional e incapacidade.


Acusações de corrupção


O caso de Neymar começou após uma denúncia apresentada pela Dees Corporation, que manteve os direitos econômicos do atleta em 2013.


O jogador, seus pais e ex-presidentes do Barcelona Rosell e Josep Bartomeu são acusados de corrupção corporativa e irregularidades na transferência do atacante do Santos para o clube catalão. Além disso, o ex-presidente do Santos, Odelio Rodriguez Filho, foi convocado para as sessões.


No total, o DIS acusa as partes de fraudar fraudulentamente o contrato para que a empresa obtenha menos valor para o acordo. Após as investigações, a transferência, que deveria custar 57,1 milhões de euros, pode ter sido de 83,3 milhões de euros.


O tribunal espanhol suspeita que a diferença de valor tenha sido atenuada entre contratos paralelos que podem encobrir fraudes. A defesa nega todas as acusações. Afinal, Neymar pode ser preso e ficar fora da Copa do Mundo?


De acordo com a defesa do jogador do Paris Saint-Germain, não há possibilidade de prender o jogador. Eis o que explica João Gameiro, advogado e mestre em Direito Penal pela USP:


"O ponto mais importante dessa conversa é justamente destacar o fato de que o crime de corrupção privada ou corrupção entre indivíduos não existe no Brasil. Portanto, nem Neymar Jr. nem seus familiares podem ser julgados em nosso país por causa dessa acusação que está acontecendo na Espanha."


Por outro lado, a lei espanhola considera que este cenário, se for constatada uma violação, estaria sujeito a multa, pena máxima de prisão e incapacidade profissional por até dois anos. A empresa responsável pela denúncia, DIS, está buscando uma indenização de € 25 milhões.


Como o caso ainda está na Suprema Corte, um acordo entre as partes interessadas é improvável.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem