INSS: Atenção beneficiários! Doença cardíaca garante auxílio-doença ou aposentadoria? Veja aqui

Imagem: Reprodução/Google



Assim que uma pessoa se conscientiza de um problema de saúde, o foco muda inteiramente para a busca pelo melhor tratamento e dedicação à recuperação. Em algumas situações, a doença mais grave exige que o trabalhador deixe seu emprego. Por exemplo, doenças cardíacas garantem vários benefícios.
Veja como funciona!


Por definição federal, doenças cardíacas graves garantem ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) direitos de aposentadoria. São considerados aqueles que limitam o bom funcionamento do coração e colocam em risco a vida dos trabalhadores que não conseguem se esforçar em algumas atividades remuneradas.


Doenças cardíacas e garantia de benefícios


Para conseguir a aposentadoria do INSS por causa de uma doença que torna o coração vulnerável, o pedido de benefícios inclui a comprovação do problema de saúde em questão. Nesses casos, o trabalhador deve apresentar um relatório e inspeção confirmando a presença de uma condição que leve à necessidade de assistência.


Entre as doenças consideradas graves, temos insuficiência cardíaca, arritmias e hipertensão. Segundo o Ministério da Saúde, esse problema afeta significativamente homens com mais de 50 anos.


Quando o problema é confirmado, a pessoa percebe que existem algumas limitações. Esse número reforça a importância do cuidado adequado, pois 300 mil pessoas por ano sofrem de infarto agudo do miocárdio (IAM) e 30% delas morrem. Por essa razão, a doença cardíaca garante diversos benefícios, como a aposentadoria do INSS. É reservado para os casos mais graves e não há possibilidade de voltar ao trabalho.


Os segurados também podem ficar isentos do período de carência. Por outro lado, considera-se que pessoas com qualquer doença considerada leve podem esperar auxílio-doença, ou seja, os trabalhadores podem melhorar e voltar ao trabalho após um período de dedicação ao tratamento.


Nesses casos, você deve fazer pelo menos 12 meses de contribuição ao INSS e ser pontual para todos eles ao solicitar um recurso. Para ser considerado compatível, você deve passar pela perícia médica do instituto.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem