Atenção! Bolsa Família pode sair do teto de gastos. O que isso significa? Confira como está mudança traz impacto na vida do usuário

Imagem: Reprodução/Google




O Governo de transição se reuniu na tarde desta Sexta-Feira (11) para tomar a decisão final sobre o Bolsa Família. De acordo com informações de bastidores, a equipe do presidente eleito Luís Inácio Lula da Silva (PT) deve trabalhar para retirar o custo do programa do teto de gastos públicos, regra que visa impedir gastos do Poder Executivo.


Mas, dado que a proposta foi aprovada pela Assembleia Nacional, o que é que isso realmente muda? Segundo informações oficiais, ao retirar o custo do Bolsa Família do teto de gastos, o governo pode abrir mais espaço dentro do orçamento para o ano que vem. Dessa forma, a oportunidade de aprovar projetos sem fins lucrativos pode ser maior.


Do ponto de vista dos usuários do Auxílio Brasil, essa mudança não é das maiores. Hoje, ele já recebe um mínimo de R$ 600 por família. Ao retirar o Bolsa Família do teto de gastos, os futuros governos pagarão o mesmo valor em 2023.Assim, os cidadãos não caem ou aumentam nos lucros.


Seja como for, a verdade é que esse mesmo usuário poderia se beneficiar de outros projetos do governo social, como a Farmácia Popular, por exemplo. Retirar o Bolsa Família do teto lhe dará mais espaço para aprovar uma transferência maior de recursos para esse programa de distribuição de medicamentos, no âmbito da legislação tributária.


Ao mesmo tempo, tirar o Bolsa Família do teto também pode afetar diretamente o aumento do salário mínimo. A medida dá mais espaço para o presidente eleito cumprir uma de suas principais promessas de campanha: um aumento substancial do salário mínimo em 2023.


Retirada por quatro anos


De qualquer forma, é importante lembrar que esse plano de retirada do Bolsa Família do teto de gastos ainda não foi confirmado. Como mencionado anteriormente, antes de implementar uma ideia, a Assembleia Nacional ainda precisa aprovar o sistema.


Antecipando uma possível reação negativa dos parlamentares, membros do governo interino já dizem que podem abrir mão de alguns pontos. Inicialmente, a possibilidade de retirar o Bolsa Família do teto de gastos foi considerada decisivamente. Agora avalia-se que será possível reduzir esse prazo para apenas 4 anos.


"O consenso (entre as partes) é tornar todo o Bolsa Família excepcional, e outras questões serão discutidas dentro do orçamento", disse o presidente do PT, Glacie Hoffman. Ela faz parte da equipe de transição.


Ao dizer que o Bolsa Família poderia ficar fora do teto de gastos por apenas quatro anos, o governo eleito manda uma mensagem ao mercado: a ideia de que não vai acabar com essa regra fiscal, como prometeu Lula na campanha.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem