GRANDE mudança para quem recebe o salário mínimo; Confira

Imagem: Reprodução/Google




O presidente eleito Luís Inácio Lula da Silva (PT) está discutindo um pagamento adicional de 100 reais para os trabalhadores brasileiros em 2023. No entanto, muitas pessoas não entendem se seu valor está relacionado a novas ajudas ou programas sociais.


Há alguma especulação, mas de acordo com a avaliação da equipe de Lula, o valor corresponde ao aumento do salário mínimo. Durante sua campanha eleitoral, o PT prometeu permitir reajustes salariais superiores à inflação, ou seja, com benefícios reais.


No entanto, ainda não é certo que a expansão será de R$ 1.212 em relação ao atual piso nacional de R$ 100. Mas, de qualquer forma, a alteração do salário mínimo, de acordo com a Constituição Federal, deve pelo menos representar a taxa de inflação do ano anterior.


Salário mínimo 2023


Quanto ao salário mínimo em 2023, na proposta orçamentária enviada ao Congresso pela equipe de Jair Bolsonaro em agosto, o piso passa para R$ 90, já que o reajuste salarial é de R$ 1.302.


A revisão é baseada em previsões para o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), principal indicador de inflação do país, que vem caindo nos últimos meses. No entanto, o governo eleito trabalha para garantir um aumento ainda maior.


Segundo Wellington Diaz, senador e membro do grupo político de Lula, o piso nacional deve superar a inflação de 1,3% a 1,4% neste ano. Portanto, estima-se que o mínimo suba de R$ 1.212 para R$ 1.320 em relação a janeiro, resultando em uma alta acima de R$ 100.


PEC deve garantir apenas os R$ 600 do Auxílio Brasil e o aumento real no salário mínimo


Ao que tudo indica, a transição da PEC (Emenda Constitucional) só garante o pagamento de R$ 600 pelo auxílio brasileiro em 2023 e um aumento substancial do salário mínimo, diz Ciro Nogueira, ministro do Conselho de Cidadãos.


Portanto, o texto deve se limitar às propostas feitas pelo presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e pelo atual presidente, Jair Bolsonaro (PL), durante a campanha eleitoral. O ministro apontou essa possibilidade no último domingo (13).


"Transição PEC, como o nome sugere, é para transições. Deve garantir apenas a comunalidade das duas candidaturas: assistência de 600 reais e um aumento substancial do salário mínimo em 2023?", disse o ministro em nota.


"A posição que sou progressista e defendo é aprovar a PEC, sim, mas para a transição, garantir estabilidade no primeiro ano de governo", acrescentou.


Cabe ressaltar que a aprovação da PEC é a questão mais urgente no momento, já que a equipe de Lula deve garantir sua implementação até o final deste ano. No entanto, o texto ainda aguarda apreciação pelo Senado Federal, após o que segue para a Duma do Estado.


No entanto, o grupo político de Lula encontrou um clima menos favorável na casa do senador. Acontece que o presidente Rodrigo Pacheco (PSD-MG) pediu mais tempo para analisar esse tema. De qualquer forma, mesmo que a votação seja adiada, o novo prazo está dentro do cronograma considerado "viável" pela equipe de Lula.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem