Herói Nacional: Messi pode ter homenagem em cédulas na Argentina; Veja detalhes

Imagem: Reprodução/Google





A conquista de três campeonatos mundiais na Argentina celebrou Hermanos. Depois de 36 anos, a seleção venceu a Copa do Mundo no Catar graças ao grande desempenho de sua grande estrela, o atacante Lionel Messi.


Assim, na última quarta-feira, heróis nacionais desembarcaram na capital da Argentina com uma taça para comemorar com seu povo. Desta forma, Hermanos estava andando em um conversível com jogadores, incluindo Messi, nas ruas de Buenos Aires para o obelisco, o monumento mundialmente famoso da cidade de Buenos Aires.


Mas a celebração não termina aí. Na verdade, deve ser para sempre. Isso se deve ao fato de que a instituição financeira quer prestar uma grande homenagem ao atacante argentino.


De acordo com uma atualização da capital argentina, o Banco Central do país está discutindo a ideia de homenagear o capitão da seleção com 10 camisas e o capitão da seleção nacional, que venceu a sonhada Copa do Mundo aos 35 anos com sua quinta e última participação no torneio.


Assim, seu rosto carimbaria uma cédula de 1.000 pesos. No entanto, esta não é a primeira vez que a medida é adotada no país, já que em 1978 o governo também comemorou seu primeiro título mundial.


Consagração de Messi à Argentina


O título mundial foi o único que faltou a Messi em competições em que o argentino atuou em sua carreiraAssim, em sua última Copa do Mundo, o jogador que foi eleito um dos melhores jogadores da história saboreou sua carreira épica para sempre e se estabeleceu como o maior jogador de sua geração.


Além disso, o jogador também alcançou várias conquistas, como se tornar o jogador que jogou mais partidas e minutos na Copa do Mundo, ultrapassando Batistuta para se tornar o artilheiro da Argentina no mundo e o único jogador a ser eleito o melhor do torneio no Brasil.


Em 2022, Messi terminou vice-campeão da Copa do Mundo, marcando sete gols, cinco dos quais em Mata-mata, superado apenas por Kylian Mbappé, que marcou oito gols na final e marcou um hat-trick, rivalizando com o feito de Geoff Hurst, que marcou três vezes em 1966.


Por fim, vale destacar que a Argentina, liderada por Messi, conseguiu uma vitória limpa com prêmios individuais na Copa do Mundo. Além das 10 camisas escolhidas como ases, a Albicelestes teve Emiliano Martínez eleito o melhor goleiro da taça e o meia Enzo Fernández eleito o melhor jovem.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem