Nunca houve tantos milionários no Brasil como no Governo Bolsonaro; Veja!

Imagem: Reprodução/Google



Demorou apenas três anos para que o número de pessoas ricas no Brasil aumentasse desproporcionalmente, revelam dados da Folha de S. Paulo. Ao mesmo tempo, o país também atingiu um número alarmante de pobreza durante o mesmo período - o Governo de Jair Bolsonaro (PL). Atualmente, o número de bilionários está em um nível recorde.


De Janeiro de 2019 a Dezembro de 2021, o país registrou 2,1 milhões de pessoas com renda anual superior a R$ 1 milhão (1% da população). Destes, 562 mil eram novos na categoria, e 62,5 milhões de brasileiros viviam na pobreza no mesmo período. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), esse número representa 29,4% da população do país.


Isso, na prática, significa que o atual governo deixa um legado de mais desigualdade social no país. O tema deve abordar o próximo tema e também apareceu como pauta prioritária durante a campanha do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT).


Recorde de milionários: como era com Lula e Dilma?


Os dados apresentados pelo jornal também trazem comparações com governos anteriores. Exemplo: entre 2003 e 2014, o período que constitui os dois mandatos de Lula e o primeiro de Dilma, brasileiros cuja renda ultrapassa 1 milhão de reais passou de 18,5 mil para 29,8 mil. Naquela época, os bilionários estavam concentrados nos estados SP, RJ, MG, RS, PR. Esse contingente representava 0,1% da população da época.


Com o impeachment da ex-presidente Dilma, em 2016, esse número começou a aumentar. Isso ocorre porque ambos os seus sucessores, o ex-presidente Michel Temer e Bolsonaro, implementaram políticas orientadas para o mercado e reduziram os esforços de políticas públicas destinadas a reduzir a pobreza e apoiar a população média.


Quais estados mais ganharam milionários? 


Por exemplo, entre 2019 e 2021, os municípios de RR e RO representaram os mais novos bilionários, com 1.588 e 10.147, respectivamente. Eles registraram as maiores taxas de crescimento de 67% e 63%.


As maiores altas foram OT (59%), MT e SC (55%), PA (51,5%), OG e MA (48,5%). Como você pode ver, o número de bilionários está aumentando dentro do país. No entanto, as maiores concentrações persistiram em SP (780.619), RJ (226.254), MG (189.785), RS (161.858), RP (156.870) e SC (103.378), totalizando 78%.


Para analistas de mercado, esse crescimento está associado à expansão da fronteira agrícola brasileira, que internalizou a riqueza associada ao setor. Esse movimento permitiu que as marcas de luxo diversificassem suas vendas, que antes estavam concentradas no eixo Rio São Paulo.


Os cientistas políticos acreditam que a nova geografia da riqueza concentrada nos sítios do agronegócio ajuda a explicar o fortalecimento do conservadorismo nesses estados que levou à preferência de Bolsonaro nas eleições deste ano, com exceção do Maranhão, que favoreceu Lula.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem