Alexandre de Moraes determina própria prisão após provável ataque hacker; Entenda detalhes

Imagem: Reprodução/Google





Na noite da última Quarta-Feira (4), um documento inserido no sistema oficial do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) consta que Alexandre de Moraes 'determinou' sua própria prisão. Ao que tudo indica, o sistema foi alvo de um ataque hacker.


O texto que chegou ao Banco Nacional de Monitoramento de Prisões contém vários trechos ironizando a atuação do ministro." Sem me explicar, porque sou como um deus do olimpo, defiro a petição inicial, tanto em razão da minha vontade como pela vontade extraordinária de ver o Lula continuar na presidência".


"DETERMINO, por fim, a extração integral de cópias e sua imediata remessa para o Inquérito n. 4.874/DF e de todos os inquéritos de censura e perseguição política, em curso no SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL para o CNJ, a fim de que me punam exemplarmente. Diante de todo o exposto, expeça-se o competente mandado de prisão em desfavor de mim mesmo, Alexandre de Moraes.Publique-se, intime-se e faz o L.", diz o suposto mandado de prisão.


Além da prisão do ministro, o texto falso ainda propõe que o ministro pague uma multa de R$ 22,9 milhões.


Comunicado do CNJ


Em nota, o CNJ contou que restringiu todos os acessos ao sistema após o ocorrido. Confira a nota do órgão abaixo:


"O Conselho Nacional de Justiça identificou inconsistência 'for a do padrão' no Banco Nacional de Monitoramento de Prisões, introduzida por usuário regularmente cadastrado no sistema. Cautelarmente, e como medida de segurança, haverá restrição de acessos à plataforma, embora esteja preservada a integridade das demais informações que foram, regularmente, produzidas dentro do sistema".


Agora, a Polícia Federal investigará se realmente houve um ataque cibernético. Uma das suspeitas é que a ação tenha sido realizada internamente, por algum funcionário que teria acesso ao sistema.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem