Grande notícia para os brasileiros que usam o PIX; Confira qual

Imagem: Reprodução/Google




Notícias falsas tem rodado nas redes sociais de todo o país, dizendo que o presidente Lula vai taxar o Pix. De fato, alguns dos sistemas de transferência de dinheiro mudaram desde janeiro deste ano. No entanto, nada está relacionado com a taxa pelo serviço que se tornou disponível.


As alterações estão relacionadas com os prazos de utilização do PIX, transferências, etc. O Banco Central do Brasil diz que nenhuma pesquisa efetiva foi realizada sobre tributação das empresas. Além disso, não pretendemos alterar as regras relativas ao uso de meios de pagamento.


O Pix é um serviço gratuito usado por indivíduos, microempreendedores individuais (MEIs) e empresas individuais. Às vezes, existem várias taxas dirigidas aos microempreendedores ao fazer vendas. As taxas pelo serviço não são obrigatórias, pelo que alguns bancos decidem não cobrar pela sua utilização.


O sistema de pagamento eletrônico Pix foi criado no final de 2020 pelo Banco Central como mais uma opção para operações bancárias. Deve ser utilizado através da aplicação da instituição financeira escolhida. Isso aumenta a transparência das transações e aumenta a agilidade de todo o processo.


Alterações no PIX


Entre as mudanças no Pix, podemos destacar a possibilidade de usar todo o limite de transferência em um momento, ou seja, "usar" todo o limite diário em uma única remessa. Anteriormente, se o limite diário era de US $ 3.000 e o limite para cada transferência era de US $ 1.000, você tinha que fazer três coisas.


Houve também mudanças nos limites de Pix saque e Pix troco. Passou de R$ 500 para R$ 3 mil durante o dia e de R$ 100 para R$ 1 mil durante a noite. O limite de hora da noite é flexível e pode ser definido pelo cliente de acordo com as regras do banco. Anteriormente, eram 8:00-6:00.


Se o cliente preferir, este limite de tempo pode começar às 22:00. No entanto, não há obrigação da instituição financeira de fornecer essa opção. Em caso afirmativo, o banco central pode ou não libertar este limiar. De acordo com o banco, essa mudança entrará em vigor até 3 de julho de 2023.


Taxação do Pix


Desde a eleição presidencial em Lula, tem havido notícias relacionadas aos impostos do PIX sobre seus negócios. No entanto, as mudanças reais entraram em vigor a partir de 2 de janeiro de 2023. O Banco Central se pronunciou sobre a rejeição de alterações relacionadas a pagamentos por serviços de transferência eletrônica de dinheiro.


A grande diferença entre os métodos de pagamento é o fato de que eles são gratuitos, ao contrário de outros tipos de operações, como o envio de dinheiro através de TED ou DOC. Outra vantagem é que a transferência ocorre em tempo real e ao mesmo tempo cai na conta da pessoa.


O Pix funciona a qualquer dia e hora. De acordo com estatísticas relevantes, entre novembro de 2020 e setembro de 2022, 26 bilhões de transações financeiras foram realizadas usando sistemas de pagamento eletrônico. Por exemplo, as contas de água e luz podem ser pagas usando a tecnologia.


Cobrança em operações


O banco central diz que há pouca chance de tributar os serviços. No entanto, algumas transações exigem que você incorra em algumas despesas. É o caso do Banco do Brasil, que cobra das pessoas jurídicas uma taxa de 0,99% do valor total das remessas pix, com limite inferior de R$ 1 e limite superior de R$ 100.


Por outro lado, o Banco Itaú pode oferecer aos seus clientes uma taxa relacionada ao perfil e porte da empresa, cobrando do cliente um percentual calculado com base no valor da operação, que pode chegar a até R$ 9,60. Outra opção oferecida pelas instituições financeiras é a cobrança de uma taxa fixa.


Por exemplo, o Banco Santander tem taxas diferentes dependendo do tipo de pacote de serviços oferecido. Quando os clientes usam códigos QR estáticos ou dinâmicos, as instituições financeiras podem cobrar uma taxa fixa ou uma porcentagem do valor, dependendo do contrato assinado entre as duas partes.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem