Inflação na Venezuela pode ter superado os 300% em 2022; O que esperar da inflação do Brasil este ano?

Imagem: Reprodução/Google




O Governo venezuelano ainda não apresentou um relatório oficial sobre a inflação no país em 2022. No entanto, ONGs e observatórios baseados na Venezuela estimam que a inflação na Venezuela pode ter excedido 300% no ano passado. 
O último relatório do Banco Central da Venezuela foi em outubro, apontando que a taxa de inflação acumulada para o ano é de 119,4%.


Uma estimativa de 300% é uma média. De acordo com uma pesquisa divulgada na semana passada pela ONG Cedice (Centro de Disseminação do Conhecimento Econômico), apenas o setor de alimentos aumentará os preços em até 332,43% no ano passado.


Quanto ao custo de vida em dólares, o custo de vida também aumentou 27,01%, já que a inflação é maior do que a depreciação da moeda local, o bolívar, em relação à moeda americana.


Outras estimativas de inflação na Venezuela


O Observatório Financeiro Venezuelano (OVF), centro de pesquisa ligado à oposição venezuelana, também publicou estimativas de uma taxa de inflação acumulada de 305,7% para 2022.


Os números impressionam os brasileiros, mas representam uma desaceleração no ritmo de aumento de preços. Hoje, o contexto venezuelano inclui o domínio do dólar nas ruas. Esta é a primeira vez desde que Nicolás Maduro foi libertado em 2019, após uma proibição de 15 anos do movimento de moeda americana.


Em 2021, a inflação oficial informada pelo banco central do país foi de 686,4%, o dobro da inflação anunciada por ONGs e observatórios em 2022. No entanto, ambos os resultados posicionam a Venezuela como um dos países com as maiores taxas de inflação do mundo.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem