24.1 C
São Paulo
sexta-feira, junho 9, 2023

Presidente Lula é acusado de pedalada fiscal após corte artificial em gastos do INSS; Entenda

Leia Mais

O governo Lula (PT) revisou os dados do orçamento de 2023 para reduzir artificialmente as projeções de gastos com o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).
Imagem: Google

O Governo Lula (PT) revisou os dados do orçamento de 2023 para reduzir artificialmente as projeções de gastos com o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Segundo informações da Folha de S. Paulo, o objetivo da pedalada financeira era evitar um aumento repentino de gastos no início da nova gestão.

De acordo com o documento, a SPE (Secretaria de Política Econômica), órgão do Ministério da Fazenda, reduziu o salário mínimo poucos dias depois de terminar a primeira versão a um valor mais alto, de R$ 1.320. O montante foi prometido pelo presidente e deve entrar em vigor em maio.

Alterações na conta

Ao manter o salário mínimo no valor atual de R$ 1.320, o governo conseguiu reduzir artificialmente o valor de R$ 7,7 bilhões em gastos com benefícios previdenciários. Assim, foi possível reduzir o déficit estimado em 2023 e evitar o bloqueio de outras despesas.

A Diretoria do RGPS (Sistema Geral de Previdência Social), órgão do Ministério da Previdência Social responsável pelo cálculo dos benefícios do INSS, alertou para a operação. O RGPS destacou que os dados são estimados com base em um piso de R$ 1.302, o que contradiz a trajetória das despesas para os anos seguintes.




“Uma vez que a série de custos previdenciários está vinculada e a previsão foi feita com base na grade de parâmetros da SPE/MF de 03 de outubro de 2023, cabe ressaltar que os dados para o período 2024-2027 indicados na referida nota técnica não são consistentes com os dados de 2023 aqui enviados. O valor do salário mínimo em 2023 é de R$ 1.320,00 O memorando de informações, assinado em 21 de março, disse.

Pronúncia de Fazenda

De acordo com o Ministério da Fazenda, a Comissão Técnica de Gestão Financeira Orçamentária (CTGOF) e a JEO (Comissão Executiva de Orçamento) entenderam que o valor do salário mínimo atualizado não deveria ser incluído na grade de parâmetros antes da formalização do aumento.

O ministério também negou que a emenda tenha a intenção de evitar o bloqueio de gastos. “Essa mudança ocorreu por razões puramente técnicas, refletindo a posição da JEO e pretendia apenas seguir protocolos padrão”, disse o comunicado.

Especialistas acreditam que os gastos com o INSS estão subestimados e devem superar a previsão do governo de R$ 825,2 bilhões em 2023 em cerca de R$ 13 bilhões. No entanto, o montante pode ser inferior devido ao aumento significativo da procura que tem sido represado desde o final do ano passado, nomeadamente as filas de espera.

More articles

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Últimas Notícias