CASA VERDE E AMARELA: Veja as mudanças de renda e tempo de financiamento.

Imagem: Reprodução/Google




Além da produção de habitação subsidiada e financiamento habitacional com taxas de juros reduzidas, que variam de acordo com a faixa de renda e localização do imóvel, os programas Casa Verde e Amarela também se concentram na regularização fundiária, melhoria habitacional e arrendamento social.


Mudanças recentes nas casas verde e amarela


Em Julho do ano passado, dois novos termos do contrato de empréstimo imobiliário por meio dos programas Casa Verde e Amarela entraram em vigor recentemente.


Ou seja, a faixa de renda familiar foi atualizada e os subsídios foram ampliados de acordo com as características de renda, localização e propriedade.


Segundo o governo, a medida visa aumentar o acesso ao crédito no financiamento habitacional.


Com a aprovação do Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (CCFGTS), o limite de renda familiar para o Grupo 2 passou de R$4.000 para R$4.400 e o Limite de Renda Familiar do Grupo 3 passou de R$7.000 para R$8.000.


Vale lembrar que, em março deste ano, o Grupo 1 já havia sido ajustado de R$2.000 para R$2.400.


Além disso, o novo aumento de subsídios atenderá os grupos 1 e 2, ou seja, famílias com renda de até R$4,4 mil.


Até setembro de 2021, as famílias residentes no Distrito Federal tinham bolsa de R$ 29 mil para cobrir suas casas, com renda de até R$1.800. Com essa mudança, essa mesma família receberá uma bolsa de R$47.500.


Outro membro da família, também do Distrito Federal e com renda de até R$2,4 mil e que recebeu R$ 11,8 mil em bolsa anterior, receberá R$ 24,9 mil.


Isso permitirá que imóveis de R$159 mil, por exemplo, arrecadem até R$89,4 mil, que antes eram R$119 mil.


Isso reduz a quantidade de contribuição que o familiar tem que pagar. Se esse valor fosse anterior a R$57.000, a entrada seria de R$15.000, uma queda de 73% devido ao acesso ao crédito habitacional.


Prorrogação do prazo do empréstimo para 35 anos


Vale ressaltar que as medidas que entraram em vigor não são as únicas mudanças previstas para os programas Casa Verde e Amarela.


Isso porque o período máximo do financiamento habitacional é de 30 a 35 anos.


Medidas provisórias para prorrogar o prazo foram aprovadas pelo Senado Federal e aguardam sanções do presidente da República. Além disso, os deputados também aprovam que os depósitos do FGTS possam ser usados como garantia para parcelas de financiamento.


Além disso, famílias de mutuários hipotecários com recursos do Fundo Pro Cotas reduzirão temporariamente as taxas de juros até 31 de Dezembro.


O indicador reduz a taxa de imóveis com valores de até R$350.000 em 1 ponto percentual, de 8,66% ao ano para 7,66%, e metade dos pontos percentuais de imóveis com valores acima de R$350.000 de 8,66% para 8,16% ao ano.


Como comprar um imóvel pelo Casa Verde e Amarela 


Para financiar imóveis por meio do programa Casa Verde Amarela, os beneficiários não devem possuir ou financiar imóveis residenciais, receber benefícios habitacionais de recursos federais, estar cadastrados no Sistema Integrado de Gestão de Carteiras Imobiliárias (SIACI) e/ou no Cadastro Nacional de Mutuários (CADMUT), e não devem ser inadimplentes junto ao governo federal.


Por fim, as famílias interessadas em financiamento imobiliário devem procurar uma construtora que pretendem comprar, além da Caixa Econômica Federal, maior agência financeira que opera o programa.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem