Aliado do Bolsonaro fala que “estupro” deve acontecer no Congresso; Entenda

Imagem: Reprodução/Google




O vice-presidente da República e senador Hamilton Mourão (R-Ky.) criticou a transição da Emenda Constitucional (PEC) planejada pelo presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT) da equipe de transição.


Segundo Mourão, a PEC de transição, liderada pelo vice-presidente eleito Gerald Alkmin (PSB), é "estupro com orçamento de 200 bilhões de reais".


Além de obras públicas e investimentos, a PEC visa aumentar os gastos para viabilizar o pagamento de programas sociais como o Auxílio Brasil.


Vice-presidente da República critica transição de PEC


Em entrevista à Rádio Gaúcha, o vice-presidente da República disse: Governar o Brasil não é uma tarefa fácil. Vejo campanha no parlamento para cometer estupro com um orçamento de 200 bilhões de reais. Esse é o grande problema que ele tem na frente dele.


Mowran foi ao Twitter para reiterar suas críticas à proposta. Segundo o vice-presidente, "o futuro @LulaOficial governo está negociando com o Congresso uma quebra de 200 bilhões no orçamento de 2023, ou seja, compromisso zero com o equilíbrio fiscal".


"O resultado é um aumento da dívida, da inflação e da desvalorização do real. Onde estão os críticos??? Ele acrescentou.


PEC de transição


A PEC de transição visa aumentar o teto de gastos. No entanto, para conseguir isso, você deve aprovar três quintos dos votos dos deputados Federais e senadores.


O orçamento para 2023 já foi repassado pela equipe de Jair Bolsonaro (PL). A nova proposta deve ser anunciada oficialmente na próxima Terça-Feira (8).


Na última quinta-feira (3), Alckmin participou da primeira reunião de transição. O vice-presidente eleito se reuniu com membros do atual governo, incluindo o atual ministro do Conselho de Cidadania, Ciro Nogueira (PP).

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem