Bolsa Família pode pagar até o dobro do Auxílio Brasil em 2023; Veja!

Imagem: Reprodução/Google



O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) poderá pagar até o dobro do valor atual do auxílio Brasil a partir do ano que vem. Além de sinalizar a reabertura do Bolsa Família e confirmar a manutenção dos lucros em R$ 600, o petista quer criar um adicional de R$ 150.


Este complemento é concedido a famílias constituídas por crianças com menos de 6 anos de idade que são as beneficiárias do programa. Considerando uma casa com três crianças menores de idade, apenas o aumento será de R$ 450.


Esse valor é superior ao benefício fundamental da ajuda brasileira hoje - R$ 400. Os que estão aprovados atualmente recebem R$ 600 mensais, mas o valor só é garantido até dezembro e não consta no orçamento que Jair Bolsonaro (PL) enviou ao Congresso. Portanto, o valor oficial é de R$ 400.


O problema dos R$ 600 


Não há espaço no orçamento que Bolsonaro pretendia manter a ajuda ao Brasil em R$ 600 a partir de janeiro. Por isso, a equipe do presidente Lula negocia a aprovação da PEC de Transição, uma emenda constitucional.


Esse documento permite criar despesas fora do teto de gastos para apoiar o Bolsa Família de 600 reais e a continuidade de mais R$ 150, além de outras promessas de campanha. Para aprovar a PEC, Lula precisa de um voto de três quintos de cada Congresso.


As negociações são lideradas pelo vice-presidente eleito Gerald Alkmin, coordenador geral da equipe de transição do PT. Em entrevista coletiva, o senador Marcelo Castro (MDB-PI), relator do orçamento, disse que o documento deve ser facilmente aprovado.


"Acho que vai passar tranquilamente, e vou fazer uma previsão aqui: essa PEC será aprovada por unanimidade na Câmara e no Senado, imagine um representante do povo, um deputado ou um senador, votando para tirar de pessoas que estão recebendo R$ 600 e sacar R$ 200", disse.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem